Conselho Nacional de Justiça tem banco de dados invadido e vazamento de dados pessoais

Foram divulgados diversas informações, incluindo nomes, CPFs e até números de contas bancárias. O site Defcon-Lab apurou que esse não é o primeiro vazamento do site da entidade

Foi confirmado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) um ataque a seu banco de dados na última segunda-feira (1º). Segundo o site Valor (do jornal Valor Econômico) a invasão resultou no vazamento de diversas informações, como nomes, CPF e até números de contas bancárias. O órgão fiscaliza a atuação de membros do judiciário como juízes e desembargadores.

Em comunicado liberado pelo CNJ, as autoridades foram informadas do ocorrido e todas as medidas cabíveis foram tomadas para garantir que os dados presentes no Portal estejam seguros.

Ainda segundo o órgão, nenhum dado processual chegou a ser vazado. Eles declararam que “nenhum sistema de informações processuais, como o PJE (Processo Judicial Eletrônico), o BNMP (Banco Nacional de Monitoramento de Prisões) e o SEEU (Sistema Eletrônico de Execução Unificado), foi afetado.”

Segundo o site Defcon-Lab, especializado em segurança cibernética, um outro vazamento ocorreu antes, no dia 1º de abril. Esse vazamento contém mais de 6 mil linhas de dados pessoais. Ainda segundo o site, a ação foi atribuída a hacker ativista Al1ne, da equipe Pryzraky. Além da coleta de informações, a hacker deixou uma mensagem escrita em indonésio que dizia que uma criança nascida nos dias de hoje nunca saberá a real concepção de privacidade. Além de destacar que a privacidade é importante e que ela determina quem somos e quem queremos ser.

Ainda não se sabe se há alguma relação entre os dois ataques, ou se eles foram realizados pela mesma pessoa.

Fonte: OlharDigital | 05/04/2019