Fluxo de Caixa Descontado: Saiba o que é e como funciona

A ferramenta conhecida como fluxo de caixa descontado (FCD) é uma das mais interessantes para realizar uma análise de valor de mercado de empresas. Num cenário em que fusões e vendas corporativas podem representar uma solução para alguns problemas vale a pena saber como descobrir o valor real do seu empreendimento, aquele que deverá ser apresentado para os potenciais compradores ou investidores.

O que é fluxo de caixa descontado?

Embora a ferramenta chamada de fluxo de caixa descontado possa ser usada para realizar o cálculo de projetos ou ativos específicos vou dar enfoque no seu uso para a análise de valor de uma corporação. Trata-se de um mecanismo que utiliza uma taxa de desconto no fluxo de caixa do presente para determinar o fluxo de caixa do futuro da sua companhia.

A composição dessa taxa é feita pelos custos do capital e os riscos que o empreendimento possui nesse momento. Trata-se de uma ferramenta utilizada por uma grande variedade de consultorias, investidores entre outros potenciais interessados em mensurar o valor de uma companhia. Normalmente seu uso é feito quando a organização está em fase de captação de recursos externos, em processo de fusão ou então a disposição para venda.

Para que serve o fluxo de caixa descontado na prática?

Independente de o proprietário da companhia estar considerando vender seu negócio é essencial que conheça o valor do que possui. Mas, além disso, essa ferramenta contribui para determinar qual é o potencial de investimento que seu empreendimento possui e dessa forma se sabe quanto de capital ele pode captar.

Conheça as principais características do fluxo de caixa descontado

A base para aplicação dessa metodologia é observar quatro elementos-chave de gestão de finanças. A seguir vou explicar com maiores detalhes quais são as principais características dessa ferramenta de estabelecimento de valor de empresas.

1 – Análise de estimativa do fluxo de caixa

Para poder chegar a uma determinação de valor usando o fluxo de caixa descontado é necessário ter uma ideia do montante de caixa que é recebido e que é gasto pela companhia durante um período de tempo em particular.

2 – Definição da taxa de desconto

Para saber qual a taxa de desconto a ser aplicada a dica é realizar um custo médio ponderado entre os riscos de investimento e o capital.

3 – Cálculo do valor residual

Entende-se por valor residual o valor estimado para um ativo no final de sua vida útil, isto é, o período em que pode ser usado pela companhia.

4 – Determinação do valor da companhia

O valor determinado pela ferramenta de fluxo de caixa descontado corresponde a uma projeção que observa o que poderá ser produzido no futuro levando em consideração os descontos do tempo e também de riscos que poderão se concretizar ao longo da jornada. Em resumo o resultado mostrará o potencial do que sua companhia pode gerar subtraindo o tempo e os riscos que estão associados com esse período.

Quais são as vantagens e as desvantagens do fluxo de caixa descontado?

Abaixo vou apresentar vantagens e desvantagens de utilizar essa ferramenta para determinar o valor da sua companhia.

Vantagem 1 – Redução de riscos para investidores

Do ponto de vista dos investidores essa é uma ferramenta bastante interessante, pois permite fazer uma análise que reduz o investimento a um Valor Presente Líquido (VPL) determinando se o investimento que se pretende fazer será positivo trazendo bons resultados ou negativo proporcionando alguns prejuízos em potencial. Para os empresários pode funcionar como um recurso para saber como fazer um investimento mais assertivo dos seus recursos financeiros.

Vantagem 2 – Ferramenta com base em projeções

Para quem é dono de uma companhia pode ser um recurso válido na hora de determinar o valor da sua organização porque trabalha com projeções e não com a avaliação de histórico de resultados. Talvez o seu empreendimento não tenha uma linha do tempo tão relevante de resultados, mas possa se mostrar como um excelente investimento para o futuro.

Desvantagem 1 – Possibilidade de furos

Como tem como base de trabalho o estabelecimento em projeções pode acarretar em alguns furos como, por exemplo, realizar estimativas que não correspondem necessariamente à realidade do negócio. Com o VPL errado o resultado poderá ser desastroso em médio e longo prazo.

Desvantagem 2 – Os erros são difíceis de observar

Outra questão que é relevante de mencionar é a dificuldade para perceber e identificar quais são os erros das projeções, pois elas são exatamente isso. Esse pode ser um sério problema tanto para os investidores quanto para os gestores das organizações que precisam dar um jeito de atender as metas determinadas por um cálculo que pode não estar conectado com a realidade.

Conteúdo original Marcus Marques

Fonte: JornalContabil | 13/07/2020